Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

História

Publicado: Domingo, 24 de Janeiro de 2016, 17h02 | Última atualização em Quinta, 17 de Março de 2016, 18h02 | Acessos: 931

O 20º Regimento de Cavalaria tem sua história fortemente voltada para o futuro. Diferentemente da maioria dos Regimentos de Cavalaria atuais, o Vinte não se originou de uma unidade hipomóvel.

Sua origem mais remota está no 1º Esquadrão do 4º Regimento de Reconhecimento Mecanizado. Criado pela Portaria Ministerial nº 13-12, de 29 de janeiro de 1949, o 1º/4º RRecMec nasceu do Esquadrão de Reconhecimento do Regimento Escola de Cavalaria, do Rio de Janeiro, hoje conhecido como Regimento Andrade Neves. Sua criação foi fruto do surto de motomecanização ocorrido no País a partir da década de 1940, por influência dos Estados Unidos da América, que culminaria com a participação do 1º Esquadrão de Reconhecimento da Força Expedicionária Brasileira, única tropa mecanizada brasileira a entrar em um conflito de alta intensidade.

Após ter sido criado em janeiro de 1949, foi transferido para Campo Grande no mesmo ano, tendo chegado à cidade morena em 31 de agosto. Ao chegar no então Estado de Mato Grosso, passou a ser a primeira unidade do Exército Brasileiro na região a ser dotada de meios blindados, tendo ficado diretamente subordinado à 4ª Divisão de Cavalaria.

O 1º/4º RRecMec herdou parte do material motomecanizado utilizado pelo Esquadrão febiano, com uma de suas viaturas M8 tendo sido identificada pelo próprio Pitaluga, que comandou o 1] Esquadrão de Reconhecimento. Em visita ao 1º/4º, o então Gen Pitaluga reconheceu seu carro em função de um rombo causado por um estilhaço de granada de artilharia alemã.

De 1949 a 1986, o 1º/4º RRecMec prestou relevantes serviços à 4ª Divisão de Cavalaria e à Sociedade Campo Grandense, realizando exercícios de campanha, ações cívico-sociais, interagindo com a população da cidade morena, cumprindo o papel do lema do Exército, que iria se consubstanciar apenas anos depois, de “Braço Forte e Mão Amiga”.

Com o desencadeamento da FT-90, a Portaria Ministerial nº 038, de 16 de Outubro de 1986, extinguiu o histórico esquadrão, que cedeu seu lugar para que surgisse o 20º Regimento de Cavalaria Blindado, unidade forte, com prestígio, personalidade e dotada do verdadeiro espírito daqueles que pertencem a "Arma de Osório".

Juntou-se ao 1º/4º RRecMec o 1º Esquadrão do 4º Regimento de Cavalaria Motorizado, à época com sede em Três Lagoas. O 1º/4º RCM coincidentemente havia sido criado na referida localidade no mesmo ano de 1949, quando o 1º/4º RRecMec foi transferido para Campo Grande, tendo cumprido por quase quatro décadas papel semelhante ao desempenhado pela sua unidade irmã, só que em proveito de Três Lagoas e região.

Herdando o pessoal, material e tradições do 1º/4º RRecMec e do 1º/4º RCM, o 20º RCB foi criado pelo decreto nº 92. 171 de 18 de Dezembro de 1985 e teve sua construção iniciada em outubro de 1986. O motivo principal de sua criação foi o de complementar a estrutura operacional da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, passando a ser o elemento de potência de fogo e ação de choque da Brigada. Após a conclusão da construção, foi dotado do mais moderno carro de combate do Exército à época, o M41C (Caxias), tendo sua inauguração ocorrida no dia 20 de Janeiro de 1988.

As fotos a seguir apresentam as instalações à época de sua inauguração.

Com a criação do Vinte de Cavalaria, completava-se a modernização da cavalaria hipomóvel, extinguindo-se a 4ª Divisão de Cavalaria, última Grande Unidade do Exército Brasileiro totalmente hipomóvel, e criando-se a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, sediada em Dourado - MS. A 4ª Brigada é denominada Brigada Guaicurus em homenagem aos índios Guaicurus, exímios cavaleiros que habitavam a região entre os Rios Apa e Miranda.

Em 1998, o 20° Regimento de Cavalaria Blindado recebeu a denominação de “Regimento Cidade de Campo Grande”, em homenagem à cidade que tão fraternalmente o acolheu. Em 2006, o 20° Regimento de Cavalaria Blindado integrou por seis meses, o 6° Contingente da Força Estabilização de Paz no Haiti, MINUSTAH, enviando 42 militares. Além das missões típicas de uma unidade blindada da Arma de Cavalaria, o “Regimento Cidade de Campo Grande” tem a incumbência da formação de oficiais temporários de Cavalaria no Estado de Mato Grosso do Sul e é, ainda, uma das organizações militares do Exército responsáveis pela formação básica de sargentos das Armas.

O 20° Regimento de Cavalaria Blindado foi agraciado com as seguintes condecorações: a Medalha do Pacificador (em 2005), a Medalha Internacional do Veteranos das Nações Unidas e dos Estados Americanos (em 2007) e a Ordem do Mérito Militar (em 2008).

Na última foto, as instalações atuais dos Lanceiros de Campo Grande.

registrado em:
Fim do conteúdo da página